Dicas de Filmes

Que tal assistir a um bom filme?

 

Pro Dia Nascer Feliz

Pro dia nascer feliz  

Produção de João Jardim. Brasil.2007

 Mostra a realidade de escolas em Pernambuco, São Paulo e Rio de Janeiro, o cotidiano dos alunos e reuniões de conselhos de classes, onde os professores discutem os problemas ocorridos e tomam as decisões necessárias.

Faz uma comparação entre a realidade de escolas públicas e privadas brasileiras, tomando a desigualdade como referência. Um olhar do jovem em relação à escola e o sistema educacional e a postura dos professores nas diferentes escolas.

Desmascara um pouco a ideia de que o fracasso escolar é culpa da má formação e falta de envolvimento dos professores com os alunos e a causa educacional. Onde, na trama, encontram-se professores engajados e insatisfeitos em ambas as realidades, tanto nas escolas das regiões marginalizadas, quanto na escola elitizada em São Paulo.

De quem seria realmente a culpa inexistência da utópica escola cidadã?

 

Ilha das Flores

Ilha das flores

Produção da Casa de Cinema de Porto Alegre. Brasil.1989

 O filme parte de várias associações entre os mamíferos e os seres humanos possuidores de tele-encéfalo altamente desenvolvido e polegar opositor. Entre os tomates produzidos pelo senhor Suzuki, comprados com o dinheiro que Dona Anete trocou por perfumes produzidos com a essência das flores. Entre os porcos que comem os tomates que Dona Anete classificou como lixo e os moradores da Ilha das Flores que comem os tomates deixados pelos porcos.

Ilha das Flores traz uma reflexão sobre o estado do ser humano comparado com os demais mamíferos e comendo o que foi deixado pelos porcos. Lança um olhar sobre a realidade brasileira, a pobreza, bem como a liberdade, almejada por todos os seres humanos.

O contexto leva ao questionamento do que é cidadania, quem são de fato, os cidadãos e para quem ela se destina, dentro de uma lógica puramente capitalista.

 

Entre os Muros da Escola

Entre os muros da escola 

Produção de Laurent Cantet. França. 2007

 O filme mostra o desafio de um professor de língua francesa numa escola da periferia de Paris. Numa turma de sétima série, o professor lida com a indisciplina dos alunos, diferenças culturais vários conflitos entre os próprios alunos em sala de aula, além da rebeldia típica da puberdade.

Diante do desinteresse dos alunos em aprender regras gramaticais e tempos verbais, o professor é obrigado a levar os alunos a pensarem por si e ao final, surpreende-se com uma aluna que diz ter lido “A República”, de Platão.

Traz uma reflexão sobre a educação atual e propõe a abertura do diálogo como forma de lidar com conflitos para que se possa alcançar o objetivo maior da educação, que é a formação de cidadãos.

 

Clube do Imperador

Clube do imperador

Produção de Michel Hoffman. EUA. 2002

 Uma escola para rapazes, da alta sociedade americana, o respeitado professor de História, Hundert, ensina aos seus alunos sobre o caráter, atitudes corretas e boa conduta.

Dedica-se, incessantemente, a estimular seus alunos ao gosto pelos filósofos gregos e grandes generais da antiguidade. Organiza na escola, anualmente, uma competição cultural chamada Clube do Imperador que se tornou tradicional.

Hundert passa a ser confrontado por um aluno recém chegado, Sedgewick Bell, que assume uma postura arrogante diante de todos.

O professor recorre ao pai do garoto para que possa fazer com que o aluno valorize mais a educação recebida. Assim, teve a oportunidade de conhecer o potencial do aluno e a chance de classificá-lo para a final do Clube do Imperador.

O filme mostra a importância do papel do docente e como suas atitudes podem influenciar positivamente seus alunos. Além disso, leva a uma reflexão sobre o caráter e uma conduta voltada para a ética.

 

Bang, Bang, Você Morreu

Bang bang

Produção de Guy Ferland. 2003

 A trama conta a história de um excelente aluno que após ser perseguido pelos colegas do time de futebol da escola, ameaça soltar uma bomba e explodir o prédio. Mesmo sendo a bomba de mentira, passou a ser mal compreendido pelos alunos e pelos professores.

Porém, recebe um convite do professor de teatro para o papel principal da peça “Bang, bang, você morreu” e passa a vivenciar a mesma situação e a motivação por vingança.

O filme leva à reflexão sobre preconceito e violência na escola, bem como a maneira como certos acontecimentos podem influenciar a vida das pessoas. Como o respeito aos colegas e às diferenças são importantes na vida dos jovens e podem trazer sérias consequências.